Propriedades físico-químicas da LDL e da HDL, marcadores cardiometabólicos e oxidativos podem ser modulados pelo consumo de ômega-3, ômega-6 e ômega-9 em indivíduos com risco cardiovascular intermediário?

Informações
Tipo: 
Iniciação Científica
Unidade da USP: 
Faculdade de Saúde Pública (FSP)
Autor(es): 
Milena Maria de Araújo
Orientador: 
Nágila Raquel Teixeira Damasceno
Data de Publicação: 
2013
Bolsa: 
http://www.bv.fapesp.br/pt/bolsas/132825/propriedades-fisico-quimicas-da-ldl-e-da-hdl-marcadores-cardiometabolicos-e-oxidativos-podem-ser-mo/
Resumo
As doenças cardiovasculares são a principal causa de morbi-mortabilidade no mundo, sendo sua prevalência mais acelerada em países de baixa e média renda. Apesar da redução no número de óbitos após o descobrimento das estatinas, aproximadamente 5% dos indivíduos desenvolve efeitos adversos ao uso desses medicamentos, o que contra-indicam seu uso contínuo. Além disso, cerca de 30% de indivíduos sob uso de estatina permanece com moderado ou alto risco cardiovascular. Portanto, mudanças no estilo de vida e, sobretudo na dieta constituem uma importante ferramenta na modificação de fatores de risco e, possivelmente, na prevenção de eventos clínicos. Nesse sentido, o uso de diferentes ácidos graxos constitui intervenção potencialmente interessante, conforme previamente documentado na literatura. Apesar desse fato, a avaliação simultânea do efeito dos ácidos graxos ômega-3, ômega-6 e ômega-9 sobre as propriedades físico-químicas, oxidativas e cardiometabólicas ainda é pouco explorada na literatura e ausente na população brasileira. O objetivo do presente estudo é avaliar as modificações estruturais da LDL e da HDL, assim como nos parâmetros cardiometabólicos e oxidativos de indivíduos adultos submetidos à intervenção com ômega-3, ômega-6 ou ômega-9. Para tanto, serão recrutados 400 indivíduos com risco cardiovascular classificado, segundo escore de risco de Framingham Esses indivíduos serão distribuídos nos grupos: W-3 (n=100; 6,0 g/d de óleo de peixe), W-6 (n=100; 6,0 g/d de óleo de girassol - fonte de ômega 6), W-9 (n=100; 6,0 g/d de azeite de oliva - fonte de ômega 9) e Placebo (n=100; 6,0 g/d de gelatina). No período basal, 4 e 8 semanas serão avaliados o efeito agudo das intervenções sobre os seguintes parâmetros: perfil lipídico e apolipoproteínas, tamanho da LDL e HDL, antioxidantes lipossolúveis, produtos de oxidação [LDL(-), anti-LDL(-)], marcadores inflamatórios (PCR e Lp-PLA2), NEFAs, CETP e metabolismo glicídico (glicose e insulina). Serão monitorados também o perfil clínico, antecedentes familiares de doenças, consumo alimentar, nível de atividade física e parâmetros antropométricos. A aderência à intervenção será avaliada por meio de questionário estruturado e marcadores bioquímicos. O desenvolvimento do presente estudo objetiva os seguintes desfechos: Primários - Modificação das propriedades físico-químicas da LDL e da HDL, dos marcardores cardiometabólicos e oxidativos. Secundários - Perfil lipídico, metabolismo da glicose, antropometria e composição corporal.