Efeito do ômega 3 sobre a composição corporal, controle glicêmico e escore de risco de Framingham em indivíduos adultos

Informações
Tipo: 
Dissertação
Unidade da USP: 
Faculdade de Saúde Pública (FSP)
Autor(es): 
Flávia De Conti Cartolano
Orientador: 
Nágila Raquel Teixeira Damasceno
Data de Publicação: 
2014
Bolsa: 
http://www.bv.fapesp.br/pt/bolsas/131379/efeito-do-omega-3-sobre-a-composicao-corporal-controle-glicemico-e-escore-de-risco-de-framingham-em/
Resumo
As doenças crônicas não transmissíveis representam hoje a principal causa de mortalidade mundial, com as doenças cardiovasculares representando aproximadamente 47% destas mortes. A obesidade é um fator de risco importante para as doenças cardiovasculares, sendo necessárias cada vez mais novas intervenções que atuem como um tratamento coadjuvante para o combate da epidemia global da obesidade. Apesar de já bem estabelecidos os benefícios dos ácidos graxos poliinsaturados ômega 3 (w-3) na saúde cardiovascular, e de resultados promissores em modelos experimentais sobre a redução de gordura corporal, pouca atenção tem sido dada aos possíveis efeitos deste ácido graxo na composição corpórea e na glicemia em humanos. Desta maneira, este estudo tem como objetivo avaliar o impacto da suplementação de w-3 sobre a composição corporal, o controle glicêmico e o nível de risco cardiovascular em indivíduos adultos. Para tanto, será selecionada uma amostra de 100 indivíduos para o grupo controle (suplementação placebo) e 100 indivíduos para o grupo intervenção (suplementação w-3) entre 30 e 74 anos, com risco cardiovascular estratificado conforme a classificação do Escore de Risco de Framimghan. Esta população será submetida a um protocolo referente a um estudo clínico, randomizado, controlado e duplo cego com seguimento de 2 meses. A avaliação antropométrica será feita através da coleta de massa corporal, estatura, circunferência da cintura e percentual de massa magra e gordura corporal. A determinação da glicose plasmática será através de um kit comercial, enzimático e colorimétrico e a detecção de insulina será por meio da técnica de radioimunoensaio. A resistência à insulina será calculada pelo índice HOMA-IR. Todos os testes estatísticos serão realizados com o auxílio do programa Statistical Package for the Social Sciences® e o valor de significância considerado será de p< 0,05.