Efeito do ômega-3 sobre biomarcadores cardiometabólicos clássicos e emergentes em indivíduos com diferentes níveis de risco cardiovascular

Informações
Tipo: 
Dissertação
Unidade da USP: 
Faculdade de Saúde Pública (FSP)
Autor(es): 
Marlene Nuñez Aldin
Orientador: 
Nágila Raquel Teixeira Damasceno
Data de Publicação: 
2014
Resumo
Introdução: As doenças cardiovasculares são a principal causa de morbimortalidade mundial, tendo o Brasil um perfil semelhante. Embora diversos fatores de risco sejam associados com os eventos cardiovasculares, esses não conseguem justificar a manifestação de todos os eventos clínicos, indicando que outros componentes estão envolvidos. Diante desse cenário, a dieta ocupa papel de destaque na modulação dos fatores de risco modificáveis e por isso tem sido foco de inúmeros programas de políticas públicas. Objetivo: Avaliar o efeito da suplementação de ômega-3 sobre os fatores de risco cardiometabólicos clássicos e emergentes em indivíduos com diferentes níveis de risco cardiovascular. Métodos: Este estudo foi do tipo clínico baseado em intervenção nutricional, prospectivo, randomizado, duplo cego e placebo controlado. Foram selecionados indivíduos adultos e idosos (n=146), de ambos os sexos, dentre os quais 77 faziam parte do grupo intervenção w-3 e 69 eram do grupo placebo. O risco cardiovascular foi estimado por meio do escore de risco de Framingham (ERF), os grupos foram subdivididos em escore de risco baixo, intermediário e alto. Nos tempos basal e após 4 e 8 semanas de intervenção [3,0 g/dia w-3, contendo 60% de ácido eicosapentaenoico-docosahexaenoico (EPA-DHA) ou placebo] foram coletadas informações socioeconômicas e clínicas, antropométricas, consumo alimentar, nível de atividade física e coleta de sangue após jejum de 12-14h. A partir do plasma foram analisadas as concentrações dos marcadores lipídicos [Colesterol Total, lipoproteínas de baixa densidade (LDL) e alta densidade (HDL), Triacilglicerol (TG), Apolipoproteínas AI e B, ácidos graxos não esterificados (NEFAs) e LDL eletronegativa (-)], ácidos graxos plasmático e aspectos fisicoquímicos de lipopartículas (tamanho e concentração). Os resultados foram analisados por meio do programa SPSS 16.0, sendo adotado o nível de significância de p < 0,05. Resultados: Houve incorporação de 4% do DHA plasmático e consequente redução de 34% do TG em indivíduos com ERF intermediário e de 0,2% da APO AI, 20% de NEFAs e de 0,6% de HDLINTERMEDIÁRIA em indivíduos com alto ERF. Ao longo da intervenção, houve diminuição do CT (p = 0,002), da LDL (p = 0,003), do TG (p < 0,001), do colesterol não HDL (p < 0,001), da HDLPEQUENA (p = 0,011) e da LDL (-) (p < 0,001). Houve aumento da HDL-c (p = 0,003), das partículas de HDLGRANDE (p < 0,001) e HDLINTERMEDIÁRIA (p < 0,001) Conclusão: A suplementação com w-3 promoveu redução dos biomarcadores de risco cardiovascular clássicos e emergentes. Esse conjunto de resultados amplia o papel cardioprotetor do w-3.